Sunday, July 03, 2016

O Sonho (L.F.Riesemberg)


Juan acordou estranho. Sonhara que viajaria a um país distante, para então lá viver. Mas, prestes a sair de casa para ir ao aeroporto, pensava nos pais, que teria que deixar, e foi tomado por muitas saudades do passado, dos anos da infância e da segurança que eles lhe davam. Além disso, seria sua primeira viagem para tão longe, e estava nervoso.

Por outro lado, neste sonho, viajaria com Beto e Fernando, seus dois grandes amigos de outrora, com quem não falava há tempos, e a presença deles o confortava. Sua última sensação, antes de acordar, foi um calor humano por estar junto de seus amigos no interior da aeronave, apesar de estarem sentados em assentos distantes.

Ao abrir os olhos naquele dia, Juan lembrou do que sonhara e sentiu-se vazio. O país estava em crise. Não havia empregos, nem a esperança de um futuro melhor. Ir morar no exterior era uma solução, mas ele sequer havia pensado nisso para ele. Nem passaporte possuía. Sentia-se estagnado, sem crescer há muito tempo, e isso o deprimia.

O sonho daquela noite ainda o fez lembrar de Beto e Fernando. Por onde andariam os grandes camaradas? Há muito que não os encontrava. Seria uma boa hora dar um telefonema, marcar algo. O mesmo sobre os pais, de quem estava tão afastado ultimamente, apesar do dinheiro que depositavam mensalmente em sua conta.

Juan levantou determinado a resolver as três questões trazidas pelo sonho: se aproximaria dos pais, voltaria a procurar os amigos e abriria um negócio, por mais difícil que fosse o momento. E algo o fazia sentir que as três coisas estavam conectadas.

Dias depois estava rindo com seus pais e fazendo-os sorrir. Fez uma surpresa na hora do almoço. Pediu desculpas pelo afastamento e pelos pequenos desastres de que foi protagonista, desde a adolescência. Mas agora estava determinado: queria mudar, dar-lhes orgulho. E para coroar o feliz encontro, conseguiu dizer aquela frase, sempre impedida de sair de sua boca, como que por encantamento: “Eu amo vocês”.

Mais tarde estava com Beto e Fernando, no carro deste último.

-Há quantos anos não nos víamos? Três? Quatro?

Rumavam felizes para uma lanchonete, como nos velhos tempos. Quando o carro atravessava uma ponte, Juan suspirou e congelou aquele momento emblemático. Encontrava-se na passagem para uma nova fase de sua vida. Estava deixando para trás tantos erros, dando o primeiro passo de uma longa caminhada. No mesmo dia havia exorcizado vários de seus demônios, falando o que precisava para a família e para os amigos. E tudo havia começado com aquele sonho, em que se preparava para viajar ao exterior.

“Não foi bem um sonho, foi uma premonição”, pensou, associando a viagem, o medo, a presença dos pais e dos amigos com sua vida e com as decisões tomadas. “Sim, o sonho foi bem real”, concluiu, sem perceber o gigantesco caminhão sem controle, na direção oposta, em velocidade vertiginosa e com o motorista adormecido. “Sim, tudo vai mudar daqui pra frente”.

3 comments:

  1. Desculpe fugir do post, mas o que aconteceu com o Mário Carneiro Jr? Ainda continua vivo?
    O máximo que achei desse cara foi isso: http://www.crn1.com.br/noticias/38705/Evento-Entre-Palavras-aproxima-leitores-e-escritores-na-Biblioteca-de-C--Mourao.html

    Descobri o blog dele(biblioteca mal-assombrada) há duas semanas e virei leitor assíduo das resenhas. Virou meu site de leitura de todas as noites, desbancando até o anterior que ocupava esse posto(o HG101) rsrs Infelizmente, acho que já devo ter lido mais da metade das resenhas que ele postou.
    Esse cara vai me fazer gastar uma grana, pois já listei vários livros legais que ele recomendou, mas só comprei 2, pois o restante... tá tudo caro! O.O
    Bom, enfim, mande um abraço pro Mário, ele fez um grande trabalho por lá. Que um dia ele volte a resenhar outros livros...

    ReplyDelete
  2. Olá! O Mário continua vivo, sim! Mandei seu comentário para ele, e ele falou que espera que você consiga o dinheiro para comprar todos os livros. Pode procurá-lo no Facebook. Eis o perfil dele: https://www.facebook.com/profile.php?id=897300243&fref=ts

    ReplyDelete
  3. Opa, vlw pelo esclarecimento, Riesemberg!

    Sério, cheguei a pensar "caraca, eu posso estar lendo um blog de um cara que bateu a caçuleta!".

    Assim que tiver um tempo disponível, leio seus contos aqui tbm, como esse aí :)
    Um abraço!

    ReplyDelete