Saturday, June 08, 2013

Incidente Eletrodoméstico (L.F.Riesemberg)



Joseph trabalhou o dia todo. O escritório é apertado, quente e a cadeira é desconfortável.  Tudo o que ele quer: chegar em casa, descalçar os sapatos, sofá e TV.

Emma está muito empolgada com a comemoração dos seus cinco anos de casamento, tanto que ficou o dia inteiro preparando uma surpresa para o esposo. Limpou toda a casa, mudou os móveis de lugar, fez as unhas e o cabelo no salão de beleza e está usando um vestido novo, produzido especialmente para a ocasião. Isto sem falar no suflê que está no forno, pronto para ser servido na mesa romanticamente decorada assim que Joseph chegar do serviço.

Ele entra, livra-se dos sapatos e joga-se no sofá.

Estranhando aquele comportamento, magoada por ele não ter falado absolutamente nada a respeito da arrumação da sala e, principalmente, por não ter reparado que ela estava com os cabelos bonitos e o vestido especial, ela começa a se enfurecer, acreditando que se ele a trata desta maneira e nem se lembrou do aniversário de casamento, só pode significar uma coisa: outra mulher.

-Você poderia não jogar os sapatos e essas meias fedidas no meio da nossa sala? Se você não reparou, está tudo limpo aqui.

- Ah, amor, desculpe. É que estou com dor nos pés.

-Dor nos pés, é? Sei! Pois pode me falar a verdade, senhor Joseph. Eu já estou sabendo de tudo. Acha que não me contaram, é? Que história é essa? Depois de tanto tempo acha que pode me trair desse jeito? Pois saiba que eu vou descobrir quem é essa sirigaita e vou fazer o maior escândalo, e ela vai aprender a não se meter nunca mais com homem casado, além disso...

“Pare”. Este foi o comando de voz que ele deu, e automaticamente Emma calou-se e congelou seus movimentos.

Ele disse: “Reiniciar”, e ela fechou os olhos. Ficou assim por cerca de dois minutos, e então abriu as pálpebras novamente. Quando identificou a presença do marido, seus olhos brilharam felizes exatamente como da primeira vez que o viu.

-Meu amor! – ela disse. – Que bom que você chegou! Descanse aí porque daqui a pouco vou servir um jantar delicioso. E parabéns pelo dia de hoje, querido. Cinco anos juntos! Você não se esqueceu, não é?

Ele sorriu, lembrando-se do dia em que a caixa chegou pelos Correios e que ele passou mais de três horas mexendo nas configurações da companheira.

-E como eu poderia esquecer, meu amor? Como?

No comments:

Post a Comment