Thursday, June 14, 2012

Velhos Fantasmas (L.F.Riesemberg)





Em um empoeirado sótão, os fantasmas discutiam uma forma de assombrar seu casarão para afugentar os novos moradores. “Há uma semana esses vivos se mudaram, e nem perceberam que moramos aqui. Vocês nada aprenderam em todos esses séculos?” – perguntou o mais velho do grupo. 
“Acho que estão ocupados com a mudança, senhor, e não tiveram tempo de prestar atenção” – disse outro espírito, otimista.
Um terceiro fantasma manifestou-se: “Bem, acho que é hora de tocar um pouco de piano à noite. Quando eles virem as teclas se movendo sozinhas, vão fugir correndo”. 
"O que? Você acha que já não tentei isso?” – perguntou um pequeno fantasma que saiu do baú. “Na noite passada toquei todos os Noturnos de Chopin, e você pensa que eles ouviram? O marido saiu para trabalhar à noite. A mulher tomou sedativo e não ouviu uma só nota do meu concerto. E o filho deles passou a madrugada acordado no quarto, na frente do computador, com fones de ouvido!”.  
Pensativo, o fantasmagórico chefão quis saber o que mais já fora tentado. Uma entidade levantou timidamente o dedo e passou a relatar. 
"Como de hábito, ocupei-me da biblioteca. Abri e fechei as gavetas, folheei os livros, rabisquei o quadro negro, tudo como dita o costume”.
“E que resultados obteve? Deixou alguém em pânico?”.
 "Infelizmente, ninguém adentrou lá ainda. Creio que não gostam de ler”.
 “Mas era só o que me faltava!” – gritou o velho. “E você aí?” – apontou para outro desencarnado que participava da assembleia. “O que fez para ajudar?”. O jovem espectro, desligado do mundo dos vivos há menos tempo que seus companheiros, engoliu em seco, e disse:
“Me perdoe a franqueza, mas acho que estamos encrencados. Mesmo tentando os meios mais avançados de assombração, não tenho conseguido nada. Já cheguei a aparecer na tela do computador do rapaz e lhe pregar um susto com a careta mais sombria que consegui, mas o máximo que aconteceu depois foi ele rir, dizendo que já tinha caído nesse truque antes”.
Um desânimo começava a contagiar a todos, até que um deles sugeriu:
“E se juntássemos as nossas economias de ectoplasma e materializássemos um de nós? Nunca falha!”. O que foi respondido por outra visagem:
“Aquilo já está com a validade vencida! Além do mais, se eles filmarem uma aparição dessas vão colocar as imagens na tal internet, e daí sim que nosso sossego termina de vez”.
“Então o jeito é ficar com eles. Este sótão até que é grande”.
“Pode esquecer! Já ouvi que vão reformar e transformar isto aqui em um estúdio de gravação de músicas”.
“Oh, não daquelas músicas que o menino ouve, por favor!” – lamentaram-se.
Porém, apesar da aparente derrota a que os pobres mortos pareciam estar fadados, um brilhante espírito teve uma ideia bastante simples e eficaz: interferir na atmosfera ao redor da casa, impedindo que se chegassem quaisquer sinais que fizessem funcionar a internet, os celulares e os canais da televisão via satélite.
Em duas semanas os moradores deixaram o local.

15 comments:

  1. This comment has been removed by a blog administrator.

    ReplyDelete
  2. This comment has been removed by the author.

    ReplyDelete
  3. Olá , um amigo me indicou o blog e logo eu me surpreendi, adorei o conto, adorei o blog e já estou seguindo.

    aproveitando para divulgar meu blog:

    http://contosdesalomon.blogspot.com.br/

    atenciosamente: Salomon


    ReplyDelete
  4. Adorei seu blog e sua atitude de compartilhar os contos de seu livro aqui.Ganhou um seguidor e admirador.Este conto em particular me lembra o livro "O Fantasma de Canterville " em uma abordagem moderna.Ficou muito bom, assim como os outros contos aqui do blog.

    ReplyDelete
  5. Olá, Luís. Gosto do que você escreve. Continue seu bom trabalho. Mas aí vai um pedido: sou professor e gostaria de usar seu texto Velhos Fantasmas com meus alunos. Vou publicá-lo no site do colégio e informar o link para o seu blog. Tenho sua permissão?
    Abraços
    Paulo

    ReplyDelete
  6. Paulo, fique à vontade para usar qualquer texto do blog em suas aulas. Obrigado, e depois comente aqui o resultado. Abraço!

    ReplyDelete
  7. Legal o conto. Adorei a parte em que um fantasma é distinguido como "visagem". Infelizmente só tirando a internet pro pessoal sair de lá. Pessoas modernas, fantasmas modernos.

    ReplyDelete
  8. Gabriel RiesembergJanuary 04, 2015 8:00 AM

    Este é um dos contos que mais gosto.
    Parabéns!

    ReplyDelete
  9. Um dos melhores contos q vc escreveu...!!!

    ReplyDelete
  10. Adorei a história, realmente nestes nossos tempos o que assusta as pessoas não são os fantasmas.

    ReplyDelete
  11. Parabéns pelo trabalho! Muito boa a estrutura!!! Ótimo ver que os escritores de contos fantásticos ainda estão na ativa no nosso país.

    ReplyDelete
  12. Olá, meu nome é Álvaro, vou abrir um blog de literatura, e gostaria de publicar os seus contos. Por isso vim pedir a sua autorização. Outra, deveria publicar livros, poderia ser um grande escritor! Ou você pode publicar series de livros como Harry Potter e ganhar muito dinheiro! Mais uma coisa: Vou fazer um trabalho de escola, cada aluno precisa levar um conto para ler em sala. Vou ter que levar esse. Se der, vou contar alguns contos pros meus irmãos, eles amam esse tipo de estória!

    ReplyDelete
  13. Muito massa esse conto fantástico

    ReplyDelete
  14. Ameeeeei!! Seu blog é tudo de bom! Seus contos me ajudam até no colégio!

    ReplyDelete