Monday, October 09, 2006

Ray Bradbury




Ray Douglas Bradbury, nascido em 22 de agosto de 1920, é um escritor de contos de ficção científica e fantasia, de ascendência sueca. É mais conhecido pelas suas obras As Crônicas Marcianas (1950) e Fahrenheit 451 (1953).
Criador de belas imagens, não gosta de ser chamado de autor de ficção científica, apesar de suas histórias muitas vezes se passarem em Marte, no futuro ou a bordo de foguetes. Ele diz que o único livro que pertence ao gênero é sua obra-prima, Fahrenheit 451, sobre um futuro dominado pela censura. Também o chamam de poeta da ficção científica e o consideram o maior fantasista americano vivo. Eu sempre digo que o que ele escreve lembra muito a série Além da Imaginação. Também acredito que o filme Sinais, do Shyamalan, foi inspirado em um de seus contos de O Homem Ilustrado. E isso sem mencionar que o autor criou uma família composta por vampiros, bruxas, fantasmas e monstros muito tempo antes de surgir A Família Addams ou A Família Monstro.
O documentário Fahreinheit 11/09, do diretor Michael Moore, teve o título inspirado na obra de Bradbury, que não gostou da brincadeira, alegando que Moore nem ao menos conversou com ele para pedir emprestado.
Na Los Angeles dos anos 30, Ray Bradbury se apaixonou pelo gênero ao ver a capa de uma revista, Amazing Stories, em que uma formiga gigante ameaçava uma bela mulher. Mais tarde, Buck Rogers e King Kong também o inspiraram.
Suas histórias foram publicadas em várias revistas da época, sem muito sucesso, e ele só foi reconhecido dentro do gênero graças a seus livros.
Hoje ele é tão popular nos Estados Unidos que um asteróide leva seu nome.
No Brasil já foram lançados vários de seus livros, mas hoje em dia é um pouco difícil encontrar em lojas. Os mais recentes (re) publicados aqui foram As Crônicas Marcianas e Fahreinheit 451, mas os sebos ainda são uma boa opção. Eu mesmo já encontrei maravilhas como A Cidade Fantástica (Dandelion Wine), da coleção Argonauta, sobre o verão na infância de um menino.
Quem é fã de Stephen King deveria rapidamente descobrir de que fonte ele extraiu grande parte de sua inspiração para escrever.
Vai aqui um link interessante (em inglês):

2 comments:

  1. Luiz Fernando, cheguei aqui tão atrasada, pelo google, procurando na net um dos contos de Bradbury para que eu não precise digitá-lo. Gostei muito deste post. Sou fã do escritor e leio, tudo que posso, sobre eles e suas obras.
    um abraço.

    ReplyDelete
  2. Recentemente eu adquiri o livro Uma Sombra Passou Por Aqui, de autoria de Bradbury. O livro, do ponto de vista literário, não chega ser uma sumidade, assim como não era seu autor. Porém, a abordagem e os temas ali tratados de modo a induzir à reflexão antecipam a Gene Rodenberry quando esse genial produtor, numa franca alusão a Bradbury produz Star Treck, imprimindo um caráter racionalista e politicamente correto às ações de Kirk e sua tripulação. Também o filme Uma sombra passou por aqui, baseado no livro é muito bom. Sou apreciador do gênero de ficção. Por consequência, gosto muito de Ray Bradbury.

    ReplyDelete